RSS
 

‘(2008) AMOROSOS’

14

01 jul

De nada adianta esconderes algo de mim.
Teus olhos contam.

De nada adianta não me contares tuas vontades.
Teus olhos te devassam.

De nada adianta reprimires teu afeto.
Teus olhos me dizem de forma clara.

De nada resolve te manteres calada.
Teus olhos conversam comigo.

De nada adianta só me dizeres não.
Teus olhos discordam de ti.

De nada adianta me negares um olhar.
Teus olhos já se instalaram
dentro de meu coração.

 
 

17

01 jul

ensaiei a sinfonia do sol
mas emudeceste
singrei todos os mares gregos
mas estancaste
busquei a jazida do azul
mas escureceste
atravessei a linha da vida
mas não me amaste
teci a aurora das cores
mas desfizeste
plantei jardins na noite
mas não vieste

 

1

01 jul

Parto em tua direção
mesmo sabendo que estás distante.
Mesmo sabendo que entre nós há um vale
de sonho inebriante.

Parto em tua direção
como quem busca um diamante.
Mesmo sabendo que jamais
ficarei perto de teu sorriso iluminante.

Parto em tua direção
com desejo de renascer,
nem que seja apenas por um instante.

Parto em tua direção
e navego em ti pela luz da lua.
Nesta viagem delirante.

 
 

4

01 jul

O que é longe para o pensamento?
Que é a ausência para o coração?
De que forma sofrer se temos a lembrança?
Os mosaicos de momentos já nos perpetuaram
juntos, colados como um beijo de amor.
Se vivemos pelo menos um só instante,
já temos uma vida a celebrar.
Se falta um contato de pele,
sobra, dentro de nós, a ternura do sorriso,
este sorriso de uma saudade ao redor,
dançante e efusiva; saudade de fechar os olhos
e poder ver; este sorriso de recordar…

A distância apenas separa o corpo,
nunca a alma.

 
 

20

01 jul

vejo o amor na manhã
à sombra do galho

ela, colada ao corpo
que já lhe deu tanta vida,
busca agasalho

ele, flor na mão,
doando seu ombro
para que ela se recoste,
ostenta o grisalho

ao ver o casal antigo
nasce-me a dúvida:

o que brota em meu rosto
é lágrima ou uma gota de orvalho?

 

18

01 jul

cuidado com o amor descuidado,
mesmo com cheiro de baunilha,

acaba nos deixando sózinhos,
cercado de dor como uma ilha

não pode ser amor
o que nos ata ao chão
feito armadilha

 

9

01 jul

Teu olhar entra em mim
e tomas posse do meu dia.
Como um beija-flor
buscas a vida
no meu resto de alegria,
que reparto na noite ninfa
com a tua fotografia.

 

5

01 jul

Nesta noite estou contigo.
E conto nossa história
a um estranho amigo.

Conto de nosso jardim
que imagino seja
onde plantaste o amor em mim;

que teu rosto de agora
é uma pálida lembrança
nas sombras desta hora.

Conto com certa impaciência
que o passado me arde
na flor triste de sua ausência.

A palavra sai pura,
meu pensamento voa
atrás daquela ternura.

O que resta de nós dois
numa nuvem cinza
é um eterno depois…

 

ESCURIDÃO

01 jul

“Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo”

Sophie de Mello Breyner Andresen

Amamos a pele buscando o sonho.

Tentamos sublimar o espírito,
entregando-nos por inteiro
na exigência da posse de quem amamos.

Amamos o tempo todo em teia frágil.
Espreitando portas.
Auscultando sinais,
espremendo a emoção.

Amamos o tempo todo em receio.
Amamos a vida toda no escuro.
Amamos o curto tempo de certezas.

Amamos para sermos inteiros e sempre ficamos em pedaços.

Amamos muito, até a exaustão.
Na surpresa do desamor,
recolhemos retalhos e o cozemos com lágrimas.
E aprendemos que amar não é senão duvidar.

E mais um mistério nos move.

Depois, apartados do que não entendemos,
seguimos em frente tentando nos agarrar
naquilo que nem sabemos o nome que tem.

Amar é usar o verbo que apenas se sente,
nunca se fala. Amar é incertar.

 
 

8

01 jul

Talvez, antecipando o tempo,
encontro o paraíso.

Muito mais que conforto,
tenho a sensação
de descobrir o bem
de que mais preciso.

Penso estar louco,
mas não, lá está ele,
acolhedor,  soberano e luzente.
Na emanação de seu sorriso.