RSS
 

DO APOCALIPSE ÍNTIMO

26 set
espectros da noite assombram
curvas da tarde como maré:
alta onda que avança lambendo
o fim do dia de um fim de ciclo

paixão posta a termo
um de profundis na pele
o último sexo pleno de trombetas
queda de wi-fi
boca toda seca
nos dedos
nos bolsos
nas gentes
nos dentes cerrados
nos gemeres e sentidos e cios
nos afazeres incompletos
no olíbano que no ar lento queima
no tuíte sem lógica para um quê

na toca o baseado no toco
resto de nina no piano
o copo
o corpo
espada ouro paus
as costas
as dores
o embaçar dos óculos
dos olhos
do amor

nuvem de penumbra a proclamar
que o dia está morto

o ocaso não foi além
de se sentir aquém
 
Sem comentários

Adicionado em - POEMAS

 

Deixe um comentário