RSS
 

14.4.18

26 abr

OS SINAIS

Quando dobrei a esquina

não percebi os sinais de

que o meio da rua deveria

ser o jorro de minha vida.

Quando subi na calçada

por mais que tentasse

num chamamento venturoso

o meio-fio nem notei.

Sou muito mais considerado

do que considero-me;

retribuo sorrisos à larga

mas fico sério nos espelhos.

Só a palavra me redime:

(tanto fora quanto dentro)

ganho beijos por elas,

gozo em suas nuances.

De resto, aguardo cores

pela janela sempre aberta

como  ordens universais,

pulverizadas  por sonhos.


 
1 Comentário

Adicionado em - POEMAS

 

Deixe um comentário

 
 
  1. Rodrigo Contrera

    6 de maio de 2018 at 6:49

    bonito