RSS
 

ANO NOVO

03 jan

Para o ano novo quero ver

se sossego;

quero apenas versos mancos.

(que sempre nego)

Quero tudo que é o nada

que não me apego.

Quero o pessoal fazendo boas letras

e desinflando o ego

e  já aviso, se vier com lero-lero,

descarrego.

Quero o que me faz feliz,

não o que arrenego

e o desejo de felicidade para todos

em mais um ano que chega

em voo cego.

(Acho que é muito querer,

muito martelo pra pouco prego)

26.12.18


 
Sem comentários

Adicionado em - POEMAS

 

Deixe um comentário