A derradeira palavra

sobre este século vinte e um

(desconfiado de ter vindo à furo)

ainda não existe;

algo como sob escombros,

fora do gozo,

que lateja mofos.

Um anjo de Milton decaído no mar da perplexidade.

Lágrimas secas

como  a palavra

que ainda não existe  nem na dúvida de que existirá.

13.12.18

NOMINALISMO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *