Beira do dia:

há um abismo

chamado após.

Muda de lugar

a cada instante,

a cada pistache,

a cada sangria.

Um bálsamo

de evidências de história

de números e sufoco

compõe um borderô

de vida.

Beira do dia:

há um abismo

e um chamado

sempre ávidos,

onde soçobram

cansaços e delírios.

Por vezes,

alguma semente.

19.10.16

O APÓS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *