A cor da pele.

A assinatura.

Ser rei da zona

ou mortal criatura.

Ter clarividência

ou sofrer de amargura.

Escalar o píncaro do abandono.

Estabelecer a ruptura.

Descobrir o sintoma da menopausa

ou ampliar sua cultura.

Escrever a arte impura.

Espancar prisioneiros religiosos

ou escrever um libelo contra a ditadura.

Nada disso importa para além da ponte

do rio que perdura.

Acima do fogo ou da neve,

onde não existe rastro ou cura.

A alma quando leve,

basta-se.

ALÉM DO RIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *