Leve como a água

que se tem na sede,

livre como a asa

que se tem no sonho.


Belo como o canto

que se tem silêncio,

breve como a vida

que se tem no porto.


Brilhante como o azul

que se tem no amor;

o milagre da fonte

que se tem na mulher:


o momento da terra

que se tem no arco-íris,

a luz no corpo que gesta

o que se tem em gênese.

BENDITO VENTRE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *