Desconstruí um poema de amor
por não ter uma rosa.
Uma a uma, assisti palavras pelos ares.
Depois, no chão, perto de havaiana azuis,
vislumbrei nitidamente um mal me quer,
que, solidário com a tristeza,
não se despetalou.
CONHAQUE E LIRISMO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *