Não me agrada a palavra humanidades.
Mas de humanidade gosto muito.
Amo religiosamente.
Só não concordo que seja um singular.
Nada existe mais plural que humanidade.
Dentro dela tem muito mais coisas
que quaisquer caldeirões de bruxas,
por exemplo. Pior seria pertencer
aos aracnídeos ectoparasitas hematófagos.
Apresentar-se, prazer, sou um carrapato.
Humanidade, apesar dos defeitos congênitos,
como dizia velhos boêmios, tem mais bossa.
Basta acostumar ser títere da história.
Só isso. O resto é pinuts.

22.11.19

FADO IRÔNICO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *