Debaixo da luz do alpendre
meu pai declamava os versos íntimos.
Com voz de barítono, desfilava a mão
que afaga pela mão festiva
e me confundia quando dizia
que colosso este augusto dos anjos.

Me confundia porque meu entendimento
de poesia era que a palavra poeta
era um sinônimo único para castro alves.

Mas um dia vi umas dentaduras duplas
de um tal Drummond
e passei a bater palmas ao meu pai
e dizer baixinho que colosso
são todos estes poetas
e suas palavras entalhadas.
LUZ DO ALPENDRE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *