Meus versos estarão prontos

Assim que eu morrer

Pois são versos consagrados à vida

O exercício de ceder


Meus versos estarão ao lado

Do dia que anunciar a morte

Pois são versos detalhistas e frios

Como minha própria sorte


Meus versos estão no fundo

Da alma em profusão

Pois são versos irrequietos

Que pululam no coração


Meus versos estarão cegos

Assim que a luz expirar

Pois são versos de escombros

Nascidos sem luar


Meus versos serão eternos

Quando todo o mundo acabar

Pois são versos atlantes

E devem voltar para o mar


Meus versos ficarão doidos

Assim que o riso passar

Pois são versos do palhaço

Que mesmo morto, continua a rodar

.

MEUS VERSOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *