Somos duas praias, areia branca e brisa zéfira.
Entre nossas vidas, o vasto oceano
e navegantes desauridos.
Entre nossas vidas pedras milenares,
que abalroamos em ímpeto infantil
quando não afastamos em sequer milímetros
as pretensões deíficas, ínsitas nos nossos sonhos.
De um lado, a procela que produz o sal,
de outro, eternas marés de equinócio.
Em torno, o amor continente,
a relutar por todos os tempos.

19.04.,2004

NÓS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *