Terra não é só chão

onde se esteiram nossas sombras;

não só punhado de terra

areado sobre nossas mortes.


Terra não é só o sonho

alimentado sempre por uma posse

distante de qualquer que se imagine,

no fim do que não se enxerga.


Terra não é  pátria nem o amor a ela.

Nem o berço celebrado

nem a história que se guarda.


Terra planeta girando em perigo

é filha do nominalismo.


Estas Terras não são a Terra.


Terra é a impossibilidade do que se pensa sobre a Terra.

O que nunca será.

O desejo da surpresa de onde atracar.

O não saber, onde buscar.


Terra é um infindável desterro

dentro de nós.


28/05/2010

TERRA
Classificado como:

Uma opinião sobre “TERRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *