solidão é não enxergarem você
como você
não suspeitarem de sua alma
não quererem sua sensibilidade

olharem você sem zelo
(sem vê-lo)
com olhares de sorrisos inarmônicos

solidão é estar rodeado
e permanecer como pedra
temor de escuro
cinema abandonado
um buraco na madeira podre
que sustenta o velho vaso de antúrios

solidão é olhar você até doer
sua invisibilidade
que só se esvai
quando se retorna ao estar só
com palavras mudas
– almofadas de silêncios
UM VELHO VASO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *