P/ o Sr. Lara

Algum gênero de silêncio reina

na manhã. Um verso altissonante

repousado em recôndito, entapeta

a luz. Égide contra a palidez

solar, dos minutos anêmicos,

engendrados à revelia do que se queira.

O verso guardado, no seu casulo,

quando preciso, bálsamo,

será o viço, foz aos ouvidos

dos homens, semeio.

Como o conhecimento, soprador.

VERSO GUARDADO
Classificado como:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *