“que lutas íntimas travei!
Se soubesses como estava farto daquela vã tagarelice!”
CRIME E CASTIGO – Fiodor Dostosiévski
pálpebras indeliberadas
cabeça em Raskólnikov
fixa em olhos imos
de onde sai a voz intejetiva de falso extraordiário
e outra que arrepende
a voz que ecoa na alma
outra que imita pregões nas ruas de São Petersburgo
a que circunjaz o sonho de gênio
ou a que nem sequer espreita desenlaces
a voz que enxere
outra que é subalterna
a voz de ouro
outra inválida;
uma voz que suspira
embaixo da voz que metodiza
voz profunda que exala mortos
antagônica à voz que cede a sonhos de imperadores
no final pela voz de dentro (com São Lázaro)
o homem almeja a dor
desde que possa ser
o seu próprio carrasco
VOZES DISTINTAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *